Google+ Followers

Salada com vinagrete de maçã e cheddar


No post anterior, sugeri essa salada para acompanhar o salmão defumado.

Também baseada na receita do Chuck, fica uma delícia com queijo cheddar e temperada com vinagrete de maçã.




Ingredientes

1/2 alface americana cortada em pedaços
folhas de rúcula
2 tomates italianos
3 colheres de sopa de queijo cheddar ralado ou cortado em tiras
cheiro verde a gosto
folhas de hortelã a gosto
cebola roxa em tiras
1 copo de suco concentrado de maçã
1 colher de sopa de mostarda de Dijon
3 colheres de sopa de azeite de oliva 
2 colheres de sopa de vinagre de maçã (usei o de álcool)
sal e pimenta do reino a gosto




1. Inicie fazendo o molho vinagrete de maçã. Coloque o suco numa panela e leve para ferver até reduzir pela metade.

2. Coloque o suco numa tigelinha e adicione o vinagre, a mostarda, o sal e pimenta moída na hora.

3. Adicione o azeite e bata com um garfo para emulsificar. Está pronto o molho.

4. coloque numa tigela o alface picado, as folhas de rúcula, os tomates cortados, cheiro verde e folhas de hortelã, cebola.

5. Espalhe o queijo por cima e tempere com o molho vinagrete na hora de servir.




Salmão defumado


Desde que vi o Chuck (nosso chef canadense, do canal GNT) fazer essa receita, enlouqueci. Enquanto não fiz, não sosseguei.

Enfim, ganhei o defumador (navio de bambu), fui atrás da lenha e numa manhã de sábado, me aventurei.

Confesso que o resultado podia ter ficado melhor, se eu tivesse conseguido cortar a madeira em lascas e usado o tipo que ele indicou. Mas, infelizmente, na nossa cidade temos poucas lojas especializadas... 
Bom, depois do esforço, valeu a pena!

Ingredientes

6 postas de salmão com a pele (média de uma posta por pessoa)
obs. Peça para o peixeiro cortar o salmão inteiro em duas postas, com a pele. Peça para retirar apenas a cabeça e a espinha central.

1 xícara de açúcar mascavo escuro (usei o claro e acho que a tonalidade ficaria melhor com o escuro)
1 xícara de açúcar comum
3 colheres de sopa de sal grosso
3 xícaras de chá de água quente
2 xícaras de lascas de madeira (para lareira) ou de castanha (usei do Pará)
1/2 xícara de água fria (para molhar a madeira)
2 pedaços de papel alumínio para forrar a panela

1. Inicie o processo deixando o salmão na salmoura de um dia para o outro. Faça assim: coloque numa vasilha com tampa o açúcar mascavo e o comum, adicione o sal e coloque a água. Misture bem e deixe o salmão virado com a pele para cima na salmoura. Cuide para que fique todo coberto. Reserve.







No dia seguinte, retire o peixe da salmoura e enxague rapidamente para retirar o excesso de sal. Deixe sobre uma grelha, com a pele voltada para baixo até secar. Ao tocar com os dedos, deve ter a sensação de que não está úmido (em dias quentes, uma hora é suficiente). Reserve.




2. Coloque uma panela grande (tipo wok) no fogo, já coberto o seu interior com o papel alumínio. 

3. Adicione as lascas de madeira ou as castanhas (usei os dois) e aumente o fogo da panela. Coloque a 1/2 x de água sobre as lascas.




4. Coloque o peixe dentro do defumador (foto abaixo) e com cuidado, coloque-o sobre as lascas de madeira, com a pele virada para cima. 
obs. Você pode encontrar o defumador em lojas especializadas em utensílios importados (em Brasília, você encontra na La Palma, seção de comida Tailandesa).

5. Tampe o defumador e cozinhe por mais ou menos 1 hora, até perceber que o peixe está cozido. 






Atenção: vai gerar fumaça na cozinha, mas faz parte do processo. Se usar castanha ou dependendo do tipo da madeira, pode ficar um cheiro mais forte, mas também faz parte. 

Outro detalhe, se gostar de um peixe mais sequinho e com jeito de assado, leve as postas para assar por uns 15 minutos no forno alto, só para ficar mais dourado. Se preferir o peixe mais molinho, com jeito de comida japonesa, sirva logo em seguida.

Bom, eu não me importo com esses pequenos incômodos, porque o prazer de fazer um salmão defumado em casa, NÃO TEM PREÇO!!!

Sirva com uma linda salada, temperada com molho vinagrete de maçã (próximo post).













Suflê de salmão com queijo


O que fazer com as sobras do salmão? Ou do peixe, do atum? Faz suflê :) Além de ficar mais requintado, não se desperdiça nada.
Ainda adicionei a essa receita um pouco de cenoura e batata.
Gostei bastante.

Ingredientes

+- 1 xícara de chá de sobras de salmão (ou peixe, atum, sardinha)
3/4 xícara de chá de queijo muçarela ou prato ralado
3 ovos
1 xícara de chá de leite
1 colher de sopa de margarina
1/2 cebola ralada
sal e pimenta do reino a gosto
3/4 copo de água
1 cenoura média ralada em filetes
1 batata grande ralada em forma chips
1 colher de sopa rasa de farinha de trigo
1 colher de café de fermento em pó

1. Numa panela média, aqueça a margarina e doure a cebola.

2. Adicione a cenoura e a batata e misture bem. Coloque a água, tempere com sal e pimenta e deixe cozinhar.

3. Quando estiver cozido, coloque as gemas e misture novamente. Acrescente em seguida o leite, com a farinha já dissolvida.



4. Mexa até virar um creme. Reserve.

5. Bata as claras em neve. Reserve.

6. Coloque o queijo ralado no creme e misture. Por último, as claras em neve e o fermento, mexendo delicadamente.

7. Unte com um pouco de margarina uma refratária própria para suflê ou uma forma de vidro e leve para assar em forno médio.

8. Sirva quente.











Cogumelo Shimeji na manteiga


Apesar de pouco usado na nossa culinária, cogumelo é um alimento gostoso e alto valor nutritivo. 
Achei interessante essa reportagem sobre os poderes do cogumelo e abaixo, uma receita simples e prática.



Conheça os 4 poderes do shiitake e do shimeji

Poder número 1: ativa o botão da saciedade e diminui a fome


Dependendo da receita, um prato à base de shiitake ou shimeji pode ser considerado para lá de light. O alimento soma apenas 35 calorias, em média, para uma porção generosa de 100 gramas, 1 xícara e meia de chá ­- um valor menor que a metade da mesma quantidade de kani, por exemplo, que já é considerado pouco calórico. "Sem falar que o sabor intenso dele aciona uma espécie de centro de recompensa do nosso sistema nervoso. Ativado, esse centro manda uma mensagem de saciedade ao cérebro", explica Vanderlí Marchiori, nutricionista de São Paulo. Mas atenção: para conservar o baixo valor calórico do cogumelo não vale banhá-lo na manteiga (troque-a por uma colher de chá de margarina light) nem regar o risoto com uma lata de creme de leite.

Poder número 2: garante tanta proteína quanto a da carne vermelha (e engorda menos!)


Ele contém vitaminas, fibras e minerais, mas é o alto teor proteico o carro-chefe nutricional do cogumelo. Dá para dizer que quatro colheres de sopa de shiitake equivalem a um bife de carne vermelha pequeno. Tanto o shiitake como o shimeji contêm uma composição privilegiada de aminoácidos essenciais, aqueles nutrientes fundamentais para o metabolismo funcionar a pleno vapor e que o nosso corpo não sintetiza sozinho. Outra grande vantagem dele sobre a carne está na baixa quantidade de gorduras. Enquanto 100 gramas de contrafilé têm cerca de 13 gramas de lipídios, a mesma quantidade de cogumelo não ultrapassa um grama de gordura. Aí, não importa se você é fã da proteína para ganhar músculos ou se quer emagrecer comendo menos carboidrato, o ponto vai para o cogumelo.

Poder número 3: recruta o exército de defesa do organismo e previne a gripe e o câncer


Estimular o sistema imunológico está entre os principais benefícios terapêuticos dos cogumelos shimeji e shiitake e, só por isso, já podem ser considerados alimentos mais do que funcionais. Essa missão fica a cargo de uma substância chamada lentinan. "Segundo estudos da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, o lentinan seria capaz de estimular o funcionamento dos macrófagos, células responsáveis pela produção da interleucina, outra substância relacionada ao combate da gripe e de outras infecções, até mesmo as causadas por doenças crônicas como hepatite e Aids, além de prevenir o aparecimento de tumores cancerígenos", constata Jocelem Mastrodi Salgado, professora titular de nutrição da Escola Superior de Agricultora Luiz Queiroz (ESALQ/USP), em Piracicaba, interior de São Paulo.

Poder número 4: afina o seu sangue e afasta o mau colesterol


Ao lado de uma lista que inclui a cevada, o farelo de arroz, a alga marinha e o chá verde, os pesquisadores apontam o shitake e o shimeji como alimentos capazes de proteger o organismo contra doenças ligadas ao coração. Entre elas, o colesterol alto, a hipertensão, o enfarte e o diabetes. São duas as substâncias responsáveis pela tarefa: a eritadenine, que diminui a agregação de gordura no sangue (e que, em excesso, entope as artérias) e as betaglucanas, fibras que ajudam no controle do mau colesterol. Não é à toa que os chineses chamam os cogumelos de tônico da longevidade e os utilizam, há muitos anos, secos ou na forma de extratos como medicamentos para tratar o corpo e viver cada vez melhor.
Foto Carin Krasner/Foodpix/Getty Images
http://boaforma.abril.com.br/dieta/aliados-da-dieta/4-superpoderes-cogumelo-488980.shtml
Ingredientes
250 gr de cogumelo shimeji2 colheres de sopa de margarina shoyo a gosto1/2 cebola picadapitada de sal1/4 de xícara de água
Escolha os mais clarinhos sempre!

1. Lave os cogumelos e retire a parte dos talos maiores, deixando-os soltos.2. Numa frigideira, aqueça a margarina e doure a cebola.3. Adicione os cogumelos, o shoyo a gosto, água e a pitada de sal. Mexa bem, e deixe cozinhar por uns 5 minutos, até ficarem macios.