Google+ Followers

Torta de banana com café (versão II)


Essa torta é bem especial: primeiro, foi idealizada pelo Chuck (nosso queridinho, pra quem não conhece, sugiro que assista seus programas no GNT). Segundo, porque fica deliciosa. Terceiro, ela tem várias versões e essa nos agradou bastante lá em casa.

Eu já postei outra versão dela aqui no blog. Mas essa achei mais fácil de fazer.





Ingredientes

5 bananas prata maduras
caldo de meio limão
2 pacotes de biscoito recheado de chocolate escuro (oreo, negresco)
2 colheres de sopa de margarina derretida
1 latinha de doce de leite
300 gr de creme de leite fresco
1 xícara de açúcar de confeiteiro
3 colheres de sopa de café coado (bem forte, sem açúcar)

1. Triture os biscoitos num multiprocessador até triturar bem. Reserve 4 colheres para decorar. Adicione a margarina derretida e bata novamente para misturar. Reserve.

2. Corte as bananas em fatias e jogue um pouco de suco de limão para não escurecer. Reserve.

3. Bata o creme de leite fresco conforme instruções da embalagem (cada marca tem um jeito de fazer) em picos leves e adicione o açúcar. Bata mais um pouco e adicione o café já frio. Mexa bem com uma colher.

4. Monte a torta numa forma de aro removível (se não tiver, use uma refratária mesmo):
1ª camada - massa de biscoito
2ª camada - banana 
3ª camada - doce de leite
Repete a banana e o doce de leite 
Por último, o chantilly. Decore com a farofinha do biscoito. 

Leve para gelar e sirva. 

Também pode ser feita já em pratos individuais, usando aros removíveis redondos.











Picanha com feijão branco


Hoje é domingo, pé de cachimbo... quem lembra disso? 
Quando era criança, eu e meus irmãos repetíamos todo domingo essa cantiga.

Era um dia emblemático, e eu lembro que as famílias se reuniam para comer frango com macarrão :)

Por isso o dia de domingo deve ter sempre um prato especial, como esse que eu fiz, inspirada numa ideia do Chuck (nosso chef super master hiper)

Ele fez com vitela, mas não encontrei, daí usei picanha. 
Deixei o arroz pra lá e fiz umas torradas com azeite, aromatizadas com alho para acompanhar.


Nada mais aconchegante do que uma comida bem quentinha, feita com carinho!!!



Ingredientes

1 peça pequena de picanha cortadas em bifes grossos
sal grosso e pimenta do reino para temperar
1 colher de sopa de margarina para grelhar

100 g de feijão branco
1 linguiça fina de porco
2 colheres de óleo
tomate, cebola, sal, pimenta e alho a gosto
cheiro verde picado

1 bisnaga ou 1 pão italiano
azeite de oliva
2 dentes de alho

1. Comece colocando o feijão branco para cozinhar em panela de pressão por uns 20 minutos (deixe de molho de um dia para o outro). Depois de cozido, reserve.

2. Tempere a carne, já fatiada, com o sal e a pimenta. Pode temperar no hora, não precisa ser com antecedência, pois o sal tira a umidade da carne.

2. Aqueça uma grelha ou frigideira antiaderente (própria para forno), adicione a margarina e coloque as fatias de carne, deixando dourar bem por uns 3 minutos de cada lado. 

3. Coloque a carne no forno na própria frigideira ou coloque numa assadeira e leve para assar por uns 15 min. até ficar no ponto que deseja. 

4. Aproveite o forno ligado para dourar as torradas. 

5. Corte o pão em fatias grossas e coloque numa assadeira untada com azeite de oliva. Quando dourar de um lado, vire para dourar do outro lado. 

6. Quando estiverem douradas, retire do forno e esfregue o alho no pão, com cuidado, para aromatizar.

7. Aqueça uma panela com óleo para temperar o feijão. Frite a linguiça cortada em fatias finas, acrescente o alho socado, cebola picada, tomate picadinho sem semente, junte a pimenta e o sal. Misture bem, deixando fritar os temperos. Adicione o feijão cozido e o cheiro verde picadinho. Deixe ferver até engrossar.

8. Por último, monte o prato:

- Em pratos individuais, coloque uma fatia de carne, uma concha de feijão e duas fatias de torradas. Sirva bem quentinho. Se gostar, coloque umas gotinhas de pimenta e fio de azeite. Feliz domingo!!!













Rocambole de carne moída recheado


Meu irmão mais velho é fã dessa receita. Fazia aaaaaanos que eu não a fazia, daí um domingo desses - daqueles em que a inspiração vai embora sem a menor cerimônia, lembrei dessa carne, com cheirinho de infância.

Dei meu toque pessoal, porque não tinha a receita original e ficou bem gostosa.

Ingredientes

1 kg de carne moída de primeira (usei patinho, mas pode ser coxão duro, alcatra, etc)
1 colher de sopa de mostarda de Dijon
6 biscoitos cream cracker processado ou 3 colheres de sopa de farinha de rosca (de preferência, feita de pão)
pitada de pimenta do reino moída
sal a gosto
1 ovo
1 colher de sopa de alho moído (ou 1/2 xícara de sopa/creme de cebola em pó)
salsa picada a gosto

Para o recheio

150 g de presunto de peru ou blanquet de peru (usei esse)
150 g de queijo muzzarela
2 colheres de sopa de azeitona picada

Para cobrir
100 g de bacon em fatias finas

1. Misture bem todos os ingredientes numa travessa. 

2. Numa bancada, coloque um saquinho plástico de +- 30 x 40 cm.

3. Coloque a carne em cima e vá abrindo com a mão para formar um retângulo com + -  1,5 cm de altura (30 x 25 cm).



4. Ajuste as laterais com a mão úmida e coloque o recheio: o presunto, o queijo e azeitona picada.


5. Com a ajuda do plástico, vá enrolando a carne como um rocambole.

6. Com a mão úmida (com água ou azeite de oliva), feche as laterais.

7. Unte uma refratária com fio de azeite de oliva e coloque o rocambole nele, com as fatias de bacon por cima.



8. Leve para assar em forno médio a alto, preaquecido, por mais ou menos 25 min, ou até perceber que está assado, sem ficar seco.

9. Pode servir com legumes cozidos e passados na manteiga, como eu fiz.












Molho de jabuticaba


Desde que ouvi falar sobre esse molho, fiquei ansiosa para que chegasse a temporada das nossas brasileirinhas jabuticabas para testar essa receita. Infelizmente, ela só é colhida durante os meses de outubro/novembro. Depois disso, não temos mais. A dica é fazer várias receitas e congelar em vidros para usar depois.

O molho salienta o gosto da carne e ressalta o sabor da jabuticaba. Adorei!
Servi com pernil de porco assado. Mas acompanha bem qualquer carne e até salmão.


Ingredientes

2 xícaras de chá de jabuticabas lavadas e sem os cabinhos
1 cebola média picada
3 colheres de sopa de azeite de oliva
sal a gosto
1/2 xícara de açúcar
500 ml de água
suco de 1 limão

1. Em uma panela, coloque o azeite e frite a cebola. Acrescente a jabuticaba, 100 ml de água e o sal. Deixe ferver +- 15 min. Se possível, amasse as jabuticabas no processo de cozimento para soltar mais o suco.

2. Depois de cozida, bata no liquidificador essa mistura e coe. Reserve.

3. Faça um caramelo com o açúcar e quando estiver dourado, coloque o restante de água (400 ml). Deixe fervendo até reduzir pela metade.

4. Acrescente então o suco de limão e o caldo que foi coado. Misture bem e deixe ferver até o ponto de geleia pastosa.

Servida sobre cama de couve refogada e pernil temperado com laranja






Patinho suíno assado com ervas e laranja

Carne de porco tem sido bastante utilizada na nossa culinária... Mas também, com o preço da carne bovina, a gente se vira. Eu acho ó-te-mo, porque sou amante confessa de porco.


Vi umas peças no mercado e me encantei com o patinho. Pensei logo nele assado ao forno com suco de laranja e ervas... Olha o resultado:)


Ingredientes

1 kg de patinho suíno
suco de 2 laranjas
1 colher de sobremesa de tomilho seco
1 colher de sobremesa de manjericão seco
2 colheres de chá de sal grosso (de churrasco)
pimenta do reino a gosto
4/5 dentes de alho
2 colheres de sopa de azeite de oliva
2 colheres de sopa de suco de limão
1 colher de chá de açafrão
50 g de bacon em fatias

1. Corte o patinho em bifes grossos (+-3 cm). Numa vasilha, salpique sal grosso e pimenta do reino. Reserve por uns 10 min.



2. Num pilão, soque o alho grosseiramente, junte as ervas, o azeite, o açafrão e o suco de limão. Mexa com uma colher e espalhe sobre a carne. Deixe marinar por uma hora.

3. Aqueça uma frigideira que possa ser levada ao forno e doure as fatias de bacon. 

4. Quando o bacon estiver dourado, deixe-os no canto da panela e coloque os bifes, dourando bem de cada lado. Não se esqueça de dar umas batidinhas com a mão na carne para retirar o excesso do sal, que porventura tenha ficado. 


5. Jogue o suco de laranja e em seguida, leve para assar por mais ou menos 30 min. ou até ver que a carne esteja bem assada e dourada. Sirva com uma boa salada com molho de mostarda e mel.


Depois de assada, fica suculenta e bem dourada!







Salmão com castanha à la Claude

O chef Claude Toisgros é bem famoso e suas receitas são encontradas no site do canal GNT. Particularmente, acho suas receitas um pouco complicadas, por causa de sua formação clássica, francesa. Mas...por outro lado, quando ele acerta, acerta fortemente.

Essa é uma receita bastante adaptada dele. Inicialmente, é feita com bacalhau. Mas eu tinha postas de salmão na hora e resolvi ver no que dava: e deu no que deu :))

Achei bastante saborosa... e de aparência bem bonita!





Ingredientes

+- 700 g de postas de salmão fresco
sal e pimenta do reino a gosto
1 cebola média picada
4 a 5 dentes de alho picadinho
1 cenoura pequena ralada
1 batata pequena ralada
azeite de oliva a gosto
1 pimenta dedo de moça picada sem semente
salsa picadinha a gosto
500 ml de leite
2 colheres de sopa de margarina
3 colheres de sopa de farinha de trigo
1 caixinha de creme de leite
1/2 xícara de chá de castanha de caju inteira
queijo parmesão ralado

1. Tempere o salmão com pimenta e sal a gosto. Reserve.

2. Numa panela que possa ir ao forno depois, aqueça azeite de oliva a gosto (umas 4 colheres de sopa) e doure a cebola e o alho.

3. Adicione a cenoura, a batata, pimenta picada e a salsa. Misture bem. Em seguida, coloque as postas de salmão sobre esse refogado, adicione fio de azeite, abaixe o fogo e tampe a panela. Depois de uns 10 min, desligue e distribua as castanhas sobre o peixe. Reserve.





4. Enquanto isso, faça um molho branco com a farinha, margarina e o leite. Depois de pronto, adicione o creme de leite. 

5. Despeje essa mistura sobre o peixe na panela.



6. Salpique o queijo ralado sobre o molho e leve para assar para gratinar.

Decore com flor de coentro e pimenta (esses eu peguei na minha horta)








Nhoque de batata - com e sem recheio

Das massas, a minha preferida sempre foi nhoque. Acho que é por causa da memória afetiva. Lembra minha infância ... minha mãe sempre fazia. Minha tia também e era com molho de frango. 
Lembram quando as famílias comiam macarrão (ou nhoque, no nosso caso) e frango cozido aos domingos? Pois é. Sou dessa época. 



Então, deu vontade de relembrar os tempos de comer nhoque com frango :)

Daí aproveitei a massa e fiz uns recheados com queijo muçarela e cheddar. Ficou bom mesmo. 

E viva nossas mães e aquelas comidinhas que só elas sabem fazer!!!
Esse é um dos maiores legados que recebi da minha querida mamãe ;)



Ingredientes

800 g de batata (de preferência asterix - a de casca roxinha, por ser mais enxuta)
2 colheres de chá de sal
2 colheres de sopa rasas de margarina
1 ovo inteiro
+- 10 colheres de sopa de farinha de trigo (vai depender da batata)
queijo parmesão ralado 
molho pronto a gosto - ao sugo, à bolonhesa, molho branco, quatro queijos...

1. Lave e cozinhe com casca as batatas em panela de pressão até ficarem macias, temperando com uma colher de chá de sal.

2. Quando estiverem cozidas, escorra e descasque. 

3. Numa bacia ou travessa de vidro, passe as batatas pelo espremedor.

4. Ainda mornas, acrescente os demais ingredientes, sendo a farinha colocada por último, aos poucos.



5. Vá misturando com uma colher até o ponto em que seja possível trabalhar com a massa para cortar.

6. Numa bancada, faça rolinhos de uns 2,5 cm de diâmetro e corte pequenos pedaços de uns 3 cm, com ajuda de uma faca.




7. Enquanto corta os nhoques, coloque uma panela grande com água para ferver com um fio de azeite.

8. Quando levantar fervura, jogue com cuidado os pedacinhos de nhoque (um pouco de cada vez). Quando estiverem cozidos, eles vão subir na superfície da água. Aí então retire com uma escumadeira e coloque-os num escorredor.

9. Vá transferindo os nhoques cozidos para a travessa onde irá servir e continue o processo: enrolar, cozinhar, escorrer e colocar na travessa.




10. Por fim, faça um molho a seu gosto (ao sugo, à bolonhesa, branco, 4 queijos), jogue sobre a massa, salpique queijo parmesão e leve ao forno para gratinar.

11. Sirva quente... com uma boa salada e uma carne (ou o frango de domingo).





Dica - Nhoque recheado

Faça pequenos nhoques recheados. Com um pouco da mesma massa, abra na mão um disco de uns 6 cm de diâmetro e coloque um pedacinho de queijo no centro. Feche e enrole de maneira que forme uma bolinha. Leve para cozinhar da mesma maneira.













Salada quente de vagem com vinagrete de alho


Essa foi a primeira receita do Chuck que eu reproduzi em casa. Foi paixão à primeira vista. 

E pra quem gosta de vinagrete de alho, essa salada quente atende bem.

Ingredientes

vagem palito a gosto (+ - 150 g)
3 batatas cozidas em pedaços médios
4 ovos cozidos e partidos ao meio
1/2 cebola fatiada
3 colheres de mostarda de Dijon
2 dentes de alho
azeite de oliva a gosto
2 colheres de sopa de sardinha em lata ou atum em conserva
sal e pimenta moída a gosto
suco de meio limão

1. Cozinhe os legumes (batata e vagem) no vapor. Reserve.

2. Numa travessa, coloque as vagens e a batata cozida ainda quentes. Adicione a cebola em tiras e os ovos cozidos e tempere com um pouco de sal e pimenta a gosto.

3. Coloque o molho de alho em seguida, misture bem e sirva quente.

4. Faça assim o molho:
Num pilão, amasse bem o alho. Adicione o atum e o limão. Tempere com sal e pimenta a gosto. Por fim, coloque a mostarda de Dijon e com um garfo, emulsifique com o azeite em fio até ficar cremoso.







Filé de peixe com molho branco e banana da terra

Tenho uma preferência por receitas que levam frutas na sua composição.

Esse peixe me chamou a atenção por causa da banana e vou compartilhar a adaptação da receita porque o resultado foi muito bom (na minha opinião :)

Ingredientes

800 g de filé de peixe (tilápia, merluza ou linguado)
6 bananas da terra
500 ml de leite
2 colheres de sopa de margarina (para o molho branco e para a banana)
1/2 cebola ralada
3 colheres de sopa de maizena
1 copo de requeijão
400 g de muçarela
suco de limão a gosto
farinha de trigo quanto baste
sal e pimenta do reino a gosto
óleo de boa qualidade para fritar (o de canola é o melhor)

1. Lave os filés de peixe em água corrente e suco de limão. Tempere com sal, pimenta do reino e suco de limão. Passe-os na farinha de trigo e frite em óleo quente. Reserve.

2. Numa panela, aqueça a margarina e doure a cebola. Adicione o leite com a maizena já dissolvida e mexa até engrossar. Tempere com sal a gosto. Adicione o requeijão e misture bem. Reserve.

3. Corte as bananas no sentido vertical e frite-as em óleo quente. Eu fritei em frigideira antiaderente, com um pouquinho de margarina, para não ficar oleosa. Reserve.



4. Numa travessa refratária, coloque o molho branco, depois uma camada de peixe e de banana. Vá alternando, sendo a última de molho branco e a muçarela. Leve ao forno até derreter o queijo. Sirva quente com arroz branco.













Salada com vinagrete de maçã e cheddar


No post anterior, sugeri essa salada para acompanhar o salmão defumado.

Também baseada na receita do Chuck, fica uma delícia com queijo cheddar e temperada com vinagrete de maçã.




Ingredientes

1/2 alface americana cortada em pedaços
folhas de rúcula
2 tomates italianos
3 colheres de sopa de queijo cheddar ralado ou cortado em tiras
cheiro verde a gosto
folhas de hortelã a gosto
cebola roxa em tiras
1 copo de suco concentrado de maçã
1 colher de sopa de mostarda de Dijon
3 colheres de sopa de azeite de oliva 
2 colheres de sopa de vinagre de maçã (usei o de álcool)
sal e pimenta do reino a gosto




1. Inicie fazendo o molho vinagrete de maçã. Coloque o suco numa panela e leve para ferver até reduzir pela metade.

2. Coloque o suco numa tigelinha e adicione o vinagre, a mostarda, o sal e pimenta moída na hora.

3. Adicione o azeite e bata com um garfo para emulsificar. Está pronto o molho.

4. coloque numa tigela o alface picado, as folhas de rúcula, os tomates cortados, cheiro verde e folhas de hortelã, cebola.

5. Espalhe o queijo por cima e tempere com o molho vinagrete na hora de servir.




Salmão defumado


Desde que vi o Chuck (nosso chef canadense, do canal GNT) fazer essa receita, enlouqueci. Enquanto não fiz, não sosseguei.

Enfim, ganhei o defumador (navio de bambu), fui atrás da lenha e numa manhã de sábado, me aventurei.

Confesso que o resultado podia ter ficado melhor, se eu tivesse conseguido cortar a madeira em lascas e usado o tipo que ele indicou. Mas, infelizmente, na nossa cidade temos poucas lojas especializadas... 
Bom, depois do esforço, valeu a pena!

Ingredientes

6 postas de salmão com a pele (média de uma posta por pessoa)
obs. Peça para o peixeiro cortar o salmão inteiro em duas postas, com a pele. Peça para retirar apenas a cabeça e a espinha central.

1 xícara de açúcar mascavo escuro (usei o claro e acho que a tonalidade ficaria melhor com o escuro)
1 xícara de açúcar comum
3 colheres de sopa de sal grosso
3 xícaras de chá de água quente
2 xícaras de lascas de madeira (para lareira) ou de castanha (usei do Pará)
1/2 xícara de água fria (para molhar a madeira)
2 pedaços de papel alumínio para forrar a panela

1. Inicie o processo deixando o salmão na salmoura de um dia para o outro. Faça assim: coloque numa vasilha com tampa o açúcar mascavo e o comum, adicione o sal e coloque a água. Misture bem e deixe o salmão virado com a pele para cima na salmoura. Cuide para que fique todo coberto. Reserve.







No dia seguinte, retire o peixe da salmoura e enxague rapidamente para retirar o excesso de sal. Deixe sobre uma grelha, com a pele voltada para baixo até secar. Ao tocar com os dedos, deve ter a sensação de que não está úmido (em dias quentes, uma hora é suficiente). Reserve.




2. Coloque uma panela grande (tipo wok) no fogo, já coberto o seu interior com o papel alumínio. 

3. Adicione as lascas de madeira ou as castanhas (usei os dois) e aumente o fogo da panela. Coloque a 1/2 x de água sobre as lascas.




4. Coloque o peixe dentro do defumador (foto abaixo) e com cuidado, coloque-o sobre as lascas de madeira, com a pele virada para cima. 
obs. Você pode encontrar o defumador em lojas especializadas em utensílios importados (em Brasília, você encontra na La Palma, seção de comida Tailandesa).

5. Tampe o defumador e cozinhe por mais ou menos 1 hora, até perceber que o peixe está cozido. 






Atenção: vai gerar fumaça na cozinha, mas faz parte do processo. Se usar castanha ou dependendo do tipo da madeira, pode ficar um cheiro mais forte, mas também faz parte. 

Outro detalhe, se gostar de um peixe mais sequinho e com jeito de assado, leve as postas para assar por uns 15 minutos no forno alto, só para ficar mais dourado. Se preferir o peixe mais molinho, com jeito de comida japonesa, sirva logo em seguida.

Bom, eu não me importo com esses pequenos incômodos, porque o prazer de fazer um salmão defumado em casa, NÃO TEM PREÇO!!!

Sirva com uma linda salada, temperada com molho vinagrete de maçã (próximo post).













Suflê de salmão com queijo


O que fazer com as sobras do salmão? Ou do peixe, do atum? Faz suflê :) Além de ficar mais requintado, não se desperdiça nada.
Ainda adicionei a essa receita um pouco de cenoura e batata.
Gostei bastante.

Ingredientes

+- 1 xícara de chá de sobras de salmão (ou peixe, atum, sardinha)
3/4 xícara de chá de queijo muçarela ou prato ralado
3 ovos
1 xícara de chá de leite
1 colher de sopa de margarina
1/2 cebola ralada
sal e pimenta do reino a gosto
3/4 copo de água
1 cenoura média ralada em filetes
1 batata grande ralada em forma chips
1 colher de sopa rasa de farinha de trigo
1 colher de café de fermento em pó

1. Numa panela média, aqueça a margarina e doure a cebola.

2. Adicione a cenoura e a batata e misture bem. Coloque a água, tempere com sal e pimenta e deixe cozinhar.

3. Quando estiver cozido, coloque as gemas e misture novamente. Acrescente em seguida o leite, com a farinha já dissolvida.



4. Mexa até virar um creme. Reserve.

5. Bata as claras em neve. Reserve.

6. Coloque o queijo ralado no creme e misture. Por último, as claras em neve e o fermento, mexendo delicadamente.

7. Unte com um pouco de margarina uma refratária própria para suflê ou uma forma de vidro e leve para assar em forno médio.

8. Sirva quente.











Cogumelo Shimeji na manteiga


Apesar de pouco usado na nossa culinária, cogumelo é um alimento gostoso e alto valor nutritivo. 
Achei interessante essa reportagem sobre os poderes do cogumelo e abaixo, uma receita simples e prática.



Conheça os 4 poderes do shiitake e do shimeji

Poder número 1: ativa o botão da saciedade e diminui a fome


Dependendo da receita, um prato à base de shiitake ou shimeji pode ser considerado para lá de light. O alimento soma apenas 35 calorias, em média, para uma porção generosa de 100 gramas, 1 xícara e meia de chá ­- um valor menor que a metade da mesma quantidade de kani, por exemplo, que já é considerado pouco calórico. "Sem falar que o sabor intenso dele aciona uma espécie de centro de recompensa do nosso sistema nervoso. Ativado, esse centro manda uma mensagem de saciedade ao cérebro", explica Vanderlí Marchiori, nutricionista de São Paulo. Mas atenção: para conservar o baixo valor calórico do cogumelo não vale banhá-lo na manteiga (troque-a por uma colher de chá de margarina light) nem regar o risoto com uma lata de creme de leite.

Poder número 2: garante tanta proteína quanto a da carne vermelha (e engorda menos!)


Ele contém vitaminas, fibras e minerais, mas é o alto teor proteico o carro-chefe nutricional do cogumelo. Dá para dizer que quatro colheres de sopa de shiitake equivalem a um bife de carne vermelha pequeno. Tanto o shiitake como o shimeji contêm uma composição privilegiada de aminoácidos essenciais, aqueles nutrientes fundamentais para o metabolismo funcionar a pleno vapor e que o nosso corpo não sintetiza sozinho. Outra grande vantagem dele sobre a carne está na baixa quantidade de gorduras. Enquanto 100 gramas de contrafilé têm cerca de 13 gramas de lipídios, a mesma quantidade de cogumelo não ultrapassa um grama de gordura. Aí, não importa se você é fã da proteína para ganhar músculos ou se quer emagrecer comendo menos carboidrato, o ponto vai para o cogumelo.

Poder número 3: recruta o exército de defesa do organismo e previne a gripe e o câncer


Estimular o sistema imunológico está entre os principais benefícios terapêuticos dos cogumelos shimeji e shiitake e, só por isso, já podem ser considerados alimentos mais do que funcionais. Essa missão fica a cargo de uma substância chamada lentinan. "Segundo estudos da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, o lentinan seria capaz de estimular o funcionamento dos macrófagos, células responsáveis pela produção da interleucina, outra substância relacionada ao combate da gripe e de outras infecções, até mesmo as causadas por doenças crônicas como hepatite e Aids, além de prevenir o aparecimento de tumores cancerígenos", constata Jocelem Mastrodi Salgado, professora titular de nutrição da Escola Superior de Agricultora Luiz Queiroz (ESALQ/USP), em Piracicaba, interior de São Paulo.

Poder número 4: afina o seu sangue e afasta o mau colesterol


Ao lado de uma lista que inclui a cevada, o farelo de arroz, a alga marinha e o chá verde, os pesquisadores apontam o shitake e o shimeji como alimentos capazes de proteger o organismo contra doenças ligadas ao coração. Entre elas, o colesterol alto, a hipertensão, o enfarte e o diabetes. São duas as substâncias responsáveis pela tarefa: a eritadenine, que diminui a agregação de gordura no sangue (e que, em excesso, entope as artérias) e as betaglucanas, fibras que ajudam no controle do mau colesterol. Não é à toa que os chineses chamam os cogumelos de tônico da longevidade e os utilizam, há muitos anos, secos ou na forma de extratos como medicamentos para tratar o corpo e viver cada vez melhor.
Foto Carin Krasner/Foodpix/Getty Images
http://boaforma.abril.com.br/dieta/aliados-da-dieta/4-superpoderes-cogumelo-488980.shtml
Ingredientes
250 gr de cogumelo shimeji2 colheres de sopa de margarina shoyo a gosto1/2 cebola picadapitada de sal1/4 de xícara de água
Escolha os mais clarinhos sempre!

1. Lave os cogumelos e retire a parte dos talos maiores, deixando-os soltos.2. Numa frigideira, aqueça a margarina e doure a cebola.3. Adicione os cogumelos, o shoyo a gosto, água e a pitada de sal. Mexa bem, e deixe cozinhar por uns 5 minutos, até ficarem macios.








Salada caprese com muçarela de búfala


Mais salada!!! Dessa vez, uma adaptação que o maravilhoso Jamie Oliver fez com a tradicional salada CAPRESE.

Adoro essas desconstruções de receitas...e ele acerta sempre!

Com adaptações, aqui vai a receita:



Ingredientes


Punhado de tomates variados - a quantidade não é fixa, pois depende do gosto - sugiro 200 g
(usei o sweet grape, tomate carmem e o holandês - ou em ramas como é conhecido)
1 cebola roxa pequena em rodelas
3 gomos de queijo muçarela de búfala (pode usar muçarela comum ou queijo frescal)
azeite de oliva a gosto
manjericão em folhas para o pesto
sal e pimenta do reino a gosto
vinagre de álcool (ou o de sua preferência)
ramos de coentro 

1. Pique os tomates em cubos e distribua-os numa vasilha. Acrescente a cebola e o coentro. 

2. Coloque o queijo picado junto com os tomates. Mexa bem.

3. Tempere com o vinagre, pitada de sal e o azeite de oliva. Reserve.






4. Num pilão, coloque folhas de manjericão (2 colheres basta) e uma colher de chá de sal. Soque bem e adicione azeite de oliva até virar um pesto cremoso.

5. Tempere a salada com o pesto e azeite de oliva a gosto.

6. Sirva fria.